Início » Glossário
Glossário
A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z

Aço
Liga de ferro com uma quantidade de carbono, variável de 0,3 a 1,7%, produzida no ponto de fusão do ferro, dotada de particular capacidade de resistência mecânica, elasticidade e dureza. Aço inoxidável (ou a. inox): aço especial contendo grande quantidade de cromo e níquel, que resiste ao fenômeno da oxidação.
Alongamento
Extensão máxima que um material submetido a tração atinge antes de romper. É expresso como alongamento percentual em relação ao tamanho original do material. Seja Lr o comprimento do material no ponto de ruptura e Li o comprimento inicial, o alongamento a ruptura de tração (A) é calculado como segue:
A (%) = (Lr-Li) x 100 / Li Normativas de referência: ISO 37:1994 – ASTM D 412c-1998 – ISO 527:1993 – UNI 6065:2001
Alumínio
Metal branco-prata, dútil e maleável, presente em muitos silicatos, produzido industrialmente da bauxita, empregado na fabricação de ligas leves e superleves.
Anel Anti-pó
Elemento do rodízio giratório com função de proteção dos órgãos de rotação.

Banda de Rodagem
É a superfície externa da roda, ou seja a parte que faz contato com o solo. Pode ser lisa ou com ranhura para aumentar a aderência com o solo.
Borracha
Borracha natural: líquido denso e viscoso, gerada pela metamorfose de tecidos de algumas plantas. Borracha sintética: obtida na polimerização de monômeros, com uma composição química diversa mas características físicas semelhantes a aquelas da borracha natural.

Carga Dinâmica
Valor (expresso in daN) da capacidade de caga de uma roda.
Carga Estática
Valor máximo suportável por uma roda parada, sem que sejam verificadas modificações permanentes na própria roda. Normativas de referência: UNI EN 12527:2001 – ISO 22878:2004.
Compression Set
Modificação da forma geométrica de um material causada pela compressão ou tração. Depende da geometria do material, do grau de deformação do material, da duração do processo de deformação, da temperatura e do tempo transcorrido após a pausa. Normativa de referência: UNI EN 815:2001.
Cubo
O cubo é a parte central da roda, destinada a receber diretamente o eixo ou os mancais que facilitam a rotação (rolamento a esferas, rolamentos de roletes, buchas…). Normativas de referência: UNI EN 12526:2001 – ISO 22877:2004.

Densidade
Relação entre a massa de um material e a massa de um igual volume de uma substância de referência. É expressa em gr/mmc. Normativas de referência: UNI 7092:1972 – ISO 2781:1998.
Direcionalidade
Possibilidade de um objeto manter uma linha diretriz prefixada.
Dureza
Propensão de um material ser penetrado por outro material. É medida com testes empíricos, nos quais se mede a quantidade de penetração de uma determinada força no material, segundo condições de teste. A dureza por penetração é inversamente proporcional a penetração. Existem diversos testes que medem a dureza de um material. Entre os mais utilizados, estão aqueles que se valem de durômetros “Shore”, do tipo Shore A e Shore D. O durômetro tipo A se usa em materiais mais moles (elastômeros) enquanto que os de tipo D são usados em materiais duros (materiais termoplásticos). Normativas de referência: UNI EN ISO 868:1999 – ASTM D 2240-2004.

Eixo
Elemento que possibilita a montagem das rodas nos rodízios. Eles são constituídos por um conjunto formado por um parafuso, porca, arruela, tubo e, quando necessário, distanciadores. Normativas de referência: UNI EN 12526:2001 – ISO 22877:2004.
Elastômero
Polímeros naturais ou sintéticos, que tem as propriedades e características do cautchu.
Espiga
Parte terminal vertical do rodízio, utilizada para a fixação do rodízio em um tubo ou furo apropriado em um carrinho. Pode ser com rosca ou lisa. Normativas de referência: UNI EN 12526:2001 – ISO 22877:2004.

Facilidade de Movimentação
Valor (expresso em daN) de carga máxima, aplicável em cada roda, que um operador aplica, em trajetos não acidentados, sem se cansar, ao movimentar um carrinho.
Furo passante
Furo inserido na parte superior do suporte, utilizado para a fixação do suporte em um carrinho. Normativas de referência: UNI EN 12526:2001 – ISO 22877:2004.
Ferro Fundido
Produto siderúrgico constituído por uma liga de ferro feita com boa dose de carbono e outros elementos misturados tendo em conta objetivos específicos ou utilizando impurezas mesmo.
Freio
Dispositivo que consente a blocagem da rotação do rodízio em torno de seu próprio eixo, da rotação da roda ou da rotação de ambos. Nos rodízios giratórios podem ser montados freios do tipo anterior, posterior, centralizado, ou direcional. Normativas de referência: UNI EN 12526:2001 – ISO 22877:2004.

Garfo
O garfo, em forma de “U”, serve para prender a roda. Na extremidade inferior existem furos, através dos quais passa conjunto o do eixo em que se apóia a roda. Na parte superior existe o espaço destinados aos elementos de rotação. Normativas de referência: UNI EN 12526:2001 – ISO 22877:2004.

Injeção
Introdução de uma substância líquida, sob pressão, em um molde.

Manobrabilidade
Possibilidade de um objeto mudar rapidamente a direção de curso.
Material Termoplástico
Material que se transforma em plástico por efeito de calor e endurece quando resfriado, podendo, posteriormente ser reciclado.

Núcleo
O núcleo é a parte portante da roda, que liga o revestimento ao cubo da roda.É feito de várias formas e de diversos materiais; pode ser constítuido por um único material ou vários misturados entre si. Normativas de referência: UNI EN 12526:2001 – ISO 22877:2004.

Perda por Abrasão
Desgaste que sofre um material quando submetido a ação abrasiva por polimento. Existem diferentes métodos de medida da perda por abrasão; em base aos quais, o material é submetido a diferentes condições de teste. Normalmente, a perda por abrasão é expressa em mm³. Normativas de referência: DIN 53516:1987 – UNI 9185:1988.
Pino Central
Elemento do rodízio giratório que une a placa de fixação e a pista de esferas, formando uma única peça, liberando o garfo para girar em torno de seu próprio eixo.
Pista de Esferas
Elemento que completa o dispositivo de rotação. Em casos particulares, funciona como anti-pó ou proteção.
Placa
Parte superior do rodízio, com furos para a fixação ao carrinho. Apresenta-se em diferentes formas: retangular com quatro furos, quadrada com quatro furos, triangular com três furos, circular com furo passante, circular com espiga. Normativas de referência: UNI EN 12526:2001 – ISO 22877:2004.
Pneumático
Aro de borracha que serve para revestir uma roda. Dotado de câmara de ar.
Poliamida
Polímero caracterizado pela repetição, na molécula, do grupo abdico.
Polipropileno
Polímero de Propileno
Propileno: produzido pelo refino do petróleo, de ampla utilização para sínteses orgânicas, para obtenção de gasolina com alto grau de octanagem e para a produção de elastômeros.

Poliuretano
Composto químico obtido de uma reação de polimerização que se inicia e é resultado da mistura de dois componentes pertencentes a duas famílias diferentes de compostos (Di Isocianato e Poliol), preliminarmente aquecidos a uma temperatura tal que os mantenham em estado líquido e com viscosidade relativamente baixa. A ampla gama de elementos e compostos químicos utilizados para a formulação do poliuretano, resulta na possibilidade de obter-se inúmeras formulações do elastômero; e alem do mais, as características físicas-mecãnicas do composto são similares nas diversas formulações estequiométricas, mas o comportamento do material na sua fase de utilização pode variar significativamente, segundo o produto utilizado.
Pressofusão
Processo produtivo que consiste em injetar sob pressão metais fundidos em um molde.

Rasgamento
Capacidade de um material resistir a rasgos.É obtida através de teste em condições definidas pela norma ASTM D 624b, que prevê a tração de corpo de prova no qual foi feito um corte perpendicular em relação a força de tração.
Resiliência
Capacidade de um material de voltar a sua forma original depois de submetida a uma carga e iniciar movimento. Normativas de referência: UNI 7716:2000 – ISO 4662:1986.
Resina
Produto natural ou sintético com propriedades plásticas. Resina termofixa: resina que, submetida a aquecimento, apresenta endurecimento irreversível através de reação de policondensação e reticulação.
Revestimento
Anel externo, de diversos materiais, que caracteriza uma roda. O revestimento é fixo quando colado ao núcleo, ou encaixado quando montado mecanicamente no núcleo.
Roda
Órgão mecânico circular que, através da rotação em torna de seu próprio eixo, consente a transformação de um arrasto em giro. Os elementos que constituem a roda são: banda de rodagem, revestimento, núcleo, cubo e órgão de rolamento. Segundo as diferentes tipologias construtivas e dos materiais utilizados, as rodas podem ser classificadas em quatro famílias: borracha, poliuretano, monolítica e pneumáticas. Normativas de referência: UNI EN 12526:2001 – ISO 22877:2004.
Rodízio
O rodízio é o elemento de união da roda ao carrinho. Normalmente, as rodas se valem de um rodízio para serem aplicadas aos carrinhos, exceção feitas aquelas que são montadas diretamente no eixo. Os rodízios podem ser giratórios ou fixos. Normativas de referência: UNI EN 12526:2001 – ISO 22877:2004.

Tensão de Ruptura
Carga máxima que um material suporta antes de romper-se. É expresso em MPa (1 MPa = 1 kg/mm2). Normativas de referência: ISO 37:1994 – ASTM D 412c-1998 – ISO 527:1993 – UNI 6065:2001.

Vulcanização
Acabamento com enxofre ou compostos a base de enxofre a que se submete alguns materiais, com a finalidade de eliminar-se a plasticidade e torná-lo bastante elástico.